“Navegação já começa a oferecer perigo aos usuários” 

O nível do rio Machado, na região de Ji-Paraná, voltou a registrar baixa nos últimos 12 dias. A diminuição é referente a falta de chuva, e segundo as autoridades local, já começa a apresentar riscos de segurança para a navegação aos seus usuários, residentes ribeirinhos, pescadores e a comunidade que usam as margens para lazer nos finais de semana. Em primeiro de junho a régua de demarcação mostrava 7.15/cm. Já em primeiro de julho, a nível caiu para 6.80/cm, e ontem (7), 6.76. Informou o responsável pelo o acompanhamento (anotador), Lucenir Saldanha.

Pescadores

Manuel Batista

Em contato com o presidente da Colônia de Pescadores Z-9 (Região Centro), Manuel Batista o mesmo informou que no momento, a situação do nível do Machado, ainda é considerado normal, ou seja, ainda não estando prejudicando a prática da pesca artesanal. Segundo ele, dos 79 associados (pescadores), 60 deles, são residentes em Ji-Paraná. Manuel Batista lembrou que o período mais prejudicial para a categoria, são os meses de agosto, setembro e outubro, tempo que o nível apresentar maior queda. “Com o nível baixo, peixes como Tambaqui, Jatuarana, Pacu, Pintado e a família dos Bagres, são os que mais somem. Eles se escondem entre as pedras e grutas”, afirmou. Manuel finalizou lamentando que ao menos nove pescadores ainda não conseguiram receber o benefício do Seguro Defeso 2019/2020.

Defesa Civil

Já a coordenadora da Defesa Civil, Meire Zanetim, por telefone, também concordou que o nível do rio Machado, ainda não apresenta risco aos seus usuários, mas, recomendou que a navegação seja feita apenas por pessoas bastante experientes, em decorrente do surgimento, cada vez mais, dos chamados bancos de arreia, e principalmente, das pedras ao longo do percurso. Ela alertou que em decorrência da pandemia do novo Coronavírus, aglomeração de pessoas às margens do Machado, estão expressamente proibidas.

Autor:

Jornal,

Diário da Amazônia