A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou que, a partir desta 5ª feira (23.jul.2020), a venda a compra do vermífugo ivermectina nas farmácias exigirá receita médica.

A medicação está em falta nas prateleiras depois que começou a ser comprado como preventivo para a covid-19 –sem que haja evidências científicas de sua eficácia para isso. O remédio é vendido em lotes com 4 comprimidos e custa cerca de R$ 30.

A medicação foi incluída na lista de remédios controlados, como a cloroquina, a hidroxicloroquina e a nitazoxanida. A determinação vale até enquanto durar a pandemia do coronavírus.

Em 13 de julho, o governo federal zerou a alíquota do imposto de importação para a ivermectina e outros 36 remédios. O motivo, segundo o Ministério da Saúde, é evitar o desabastecimento no mercado nacional.

A Anvisa já divulgou nota reforçando que o medicamento tem apenas indicação para uso conforme o que consta na bula —o que inclui o tratamento de sarnas e piolhos. Segundo a agência, “não existem medicamentos aprovados para prevenção ou tratamento da covid-19 no Brasil”. Qualquer uso da remédio fora das indicações da bula devem ser feitos sob escolha e responsabilidade do médico que prescrever.

Reportagem produzida pela estagiária Melissa Fernandes com a supervisão do editor Carlos Lins.