'Ação acontece no dia 22 de outubro, na UBS L1 Maringá'

A Prefeitura de Ji-Paraná, por meio do Departamento de Atenção Básica (DAB) da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), realizará, no dia 22 de outubro, o Mutirão de Atendimento Odontológico às Gestantes do município. A ação será realizada das 7h30 às 11h30 e das 13h30 às 17h30, no Centro de Especialidades Odontológicos (CEO), anexo à Unidade Básica de Saúde (UBS) L1 Maringá.

A Coordenadora do Atendimento Odontológico Básico do DAB, Karina Nardino Ávila, explicou que as gestantes, em qualquer período da gravidez, são o público alvo do mutirão, mesmo que elas não estejam realizando o pré-natal pelo SUS.

O atendimento no mutirão será realizado pela equipe saúde bucal do DAB, em livre demanda, que realizará a entrevista com os pacientes e o exame físico de todos os tecidos da boca, com a identificação de risco à saúde bucal das gestantes, e, posteriormente, agendamento para início de tratamento na UBS de referência.

Nas consultas do pré-natal odontológico, serão abordados os temas como o diagnóstico de gengivite e doença periodontal e necessidade de tratamento; orientações sobre higiene bucal da gestante e do bebê ao nascer; orientações sobre a possibilidade de tratamentos durante a gestação; orientações sobre hábitos alimentares, principalmente associados com a ingestão de açúcar, e sobre higiene bucal; importância do aleitamento materno exclusivo e no desenvolvimento da face do bebê e os impactos que o bico/chupeta podem causar.

“O objetivo dessa ação é a redução dos índices de morbidade e mortalidade materno-infantil, através do pré-natal odontológico. Dando visibilidade à população sobre a importância do atendimento odontológico no período gestacional”, explicou Karina.

De acordo com a coordenadora, estudos recentes revelam que o tratamento odontológico, quando inserido no pré-natal, diminuem possíveis complicações na gestação, considerando que as mudanças hormonais que acontecem durante a gravidez aumentam a resposta inflamatória, acarretando doenças periodontais que, quando não tratadas, podem contribuir para o risco de pré-eclâmpsia, parto prematuro e baixo peso do bebe ao nascer.

“Em um estudo, foi observado que mulheres com doença periodontal, antes de 32 semanas de gestação, tiveram 3,69 vezes mais chance de desenvolver pré-eclâmpsia, do que comparado com as gestantes sem doença periodontal. O período ideal, e mais seguro para o tratamento odontológico, é durante o segundo trimestre da gestação. No entanto, se a gestante necessitar de tratamento de urgência e emergência, estes devem ser realizados de forma segura pelo dentista, em qualquer período gestacional”, afirmou.

Ainda segundo Karina, o Ministério da Saúde recomenda que todas as gestantes devem realizar pelo menos uma consulta odontológica durante o pré-natal. Nesse momento, é de extrema importância a realização de atividades de educação, promoção da saúde e também de prevenção de agravos, já que as mulheres se encontram mais receptivas a novos conhecimentos relacionados à própria saúde e à do bebê.

Fonte/Autor/Foto:

Assessoria